quarta-feira, março 05, 2008

Liberdade


Estranhamente em dados momentos reconheço que, ao contrário e mais gravemente que perder as asas da liberdade, tenho-as atadas.

Ultimamente a Arquitetura tem sido minha maior porta artística. E não "está suficiente". Sobretudo porque nas atuais circunstâncias, tal porta, mal passa um rato.

Devo retomar meus horizontes, encher o peito de ar fresco das montanhas, abrir minhas grandes asas.

Vou voltar a voar.

Nenhum comentário: